bebe high need

Você já ouviu falar no termo bebê high need? Traduzindo livremente seria chamado de bebê de “alta necessidade”.

O termo surgiu pela primeira vez em 1993 no livro chamado “The Baby Book“, escrito pelo pediatra americano Willian Sears e a sua esposa Martha Sears, enfermeira, educadora perinatal e consultora de amamentação.

Porém, este termo vem acompanhado de algumas controvérsias… vamos entender melhor no decorrer deste post.

O que é bebê high need?

Segundo Sears, seria um conjunto de reações que saem das expectativas dos pais, elas seriam mais intensas do que a dos bebês em geral.

O casal sempre defendeu que não existe criança que faz “manha”, então ao observar o comportamento com reações excessivas comparadas com os seus demais 3 filhos, acabaram criando esse termo.

São 12 características que determinam se um bebê é high need ou não. Para ser considerado um, eles devem ter no mínimo 3 dessas características, mencionada a seguir:

1. Intenso: ele grita, chora alto e demonstra com muita intensidade suas vontades e desejos.

2. Hiperativo: está sempre se mexendo ou mexendo em alguma coisa.

3. Ele te esgota: o bebê high need esgota todas as suas energias! Ele demanda tanto de você que você se sente sugada e sem tempo para mais nada.

4. Mama frequentemente: o bebê quer mamar, se alimentar ou ter alguma coisa na boca a todo momento.

5. Alta demanda: ele quer tudo do jeito dele. E agora!

6. Acorda o tempo todo: ele tem dificuldade para adormecer e, quando adormece, acorda de hora em hora.

7. Insatisfeito: não importa o quanto você se esforce, o bebê high need está sempre insatisfeito! E você, sempre com o sentimento de culpa.

8. Imprevisível: o que funcionava ontem, já não funciona hoje. Ele não consegue criar hábitos e tem mudanças extremas de humor.

9. Super sensível: este bebê está sempre alerta ao ambiente ao seu redor. Se entedia, chora ou acorda ao menor movimento ou ruído fora do comum.

10. Não dá para tirá-lo do colo: berço nem pensar! Ele precisa estar o tempo todo no colo e, de preferência, em movimento.

11. Não consegue dormir sozinho: ele dificilmente conseguirá cair no sono sozinho em seu berço. Ele precisa de ajuda, precisa ser embalado e acarinhado.

12. Sensível a separação: ele não aceita outros cuidadores com facilidade, e vai chorar e gritar sempre que tiver que se separar da mãe.  

bebe high need

Lembrando que eles ressaltam a importância em verificar as necessidades básicas do bebê antes de definir se é um high need, assim como a idade a considerar, esse padrão de comportamento deve ser após os 5 meses de idade.

Mas isso realmente pode ser considerado um diagnóstico?

Rótulo ou diagnóstico?

Vale lembrar que cada criança é única, algumas choram mais do que outras e muitas vezes os pais acabam fazendo comparações, mas vale lembrar do velho ditado: “a grama do vizinho sempre é mais verde”.

Devemos considerar também que cada criança tem seu tempo e precisamos ser pacientes.

Muitas crianças não se sentem à vontade quando vai para o colo de um “desconhecido” e está tudo bem, é um processo que merece ser respeitado e que irá atingir evolução.

Afinal, estamos falando de seres humanos e nós possuímos diferentes personalidades.

bebê chorando

Mas uma coisa é extremamente válida: se o bebê responde a tantos impulsos não é por acaso. É de extrema importância procurar um médico para fazer um acompanhamento e avaliar o que está acontecendo.

Em um artigo do blog Bebê Abril, Poliana Martins menciona que seus dois filhos foram diagnosticados como bebês high need, porém algo não estava certo.

A sua primeira filha era superdotada e o segundo tinha autismo. Eram crianças que se encaixavam perfeitamente no perfil, porém não eram crianças comuns.

Entende a importância de um acompanhamento médico? Diversos diagnósticos reais podem ser responsáveis por essas reações tais como TDAH, hiperatividade, apraxia, problemas gástricos e até mesmo as tão comuns cólicas.

Por exemplo: é comum que cólicas façam o seu bebê chorar muito mais alto, se sentirem irritados e muito agitados.

Uma das dicas dadas pela Poliana é o confiar no instinto materno e não dar ouvidos a quem diminuí as dores do bebê e a sua preocupação como mãe.

No fundo a mãe sempre sente quando algo não vai bem com o bebê – e combinemos que isso perdura por toda a vida -, é importantíssimo você seguir seu sentimento e ir atrás de um profissional.

Para sanar sua dúvida se faça algumas perguntinhas como: por que ele chora? Quando chora? O que lhe faz agir assim? E observe onde está a resposta.

Sendo assim, acho que podemos entender um pouco melhor que realmente o tal bebê high need seja apenas um rótulo e esse rótulo que busca trazer um certo conforto para certas mães pode esconder coisas que precisam de uma atenção maior.

Mais dúvidas sobre alguns comportamentos das crianças? Veja o post sobre Sono Infantil e Terror Noturno aqui.


Fonte: Leiturinha, Revista Crescer, Bebê Abril, Natosafe e Quindim.
Compartilhar

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.