Autor: Camila Bortolozo

Se você está pensando em dar um Pet para o seu filho, aumentar a sua família com um bichinho ou já tem um animalzinho em casa e está esperando um bebê, mas ainda não sabe se é seguro ou ideal, esse post é feito para você! Já venho adiantando que os animais para crianças só fazem o bem.

Animais para crianças

Quando o pet chegou antes do bebê

Muitas famílias acabam adotando um bichinho antes de ter uma criança e, ao engravidar, os pais se perguntam se o animalzinho vai se acostumar com o bebê e se isso não é perigoso. 

A resposta é simples: imagine seu animal como seu filho mais novo e para que não haja ciúmes, é preciso fazer ele se adaptar com a ideia de um novo integrante na família. Na prática, basta você deixar que cheirem os objetos do bebê, isso faz com que eles sintam e memorizem essa nova presença que está por vir. 

A partir de então, durante o crescimento você vai entendendo como vale a pena manter seu animalzinho em casa e acredite, ele vai se adaptar.

Animais para crianças e a imunidade

Já é comprovado que a convivência de crianças com animais é saudável para o sistema imunológico do pequeno, segundo a veterinária Mara Lúcia, em uma entrevista ao G1 “Isso acontece porque os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação viral ou bacteriana, aumentam quando em contato com os animais e fortalecem o sistema imunológico”.  

Isso significa que, as crianças acabam tendo menos probabilidade de desenvolver doenças respiratórias, dermatite, previne doenças estomacais, resfriados e até mesmo dores de cabeça. Essa notícia quebra diversos paradigmas que ouvimos por aí, não é?

Ao contrário do que já pensamos, o contato com bactérias deixa o sistema imunológico de uma criança mais forte. Uma criança que vive sempre em um ambiente extremamente limpo e tem contato nulo com animais com certeza tem mais chances de viver doentinho.

Animais para crianças

Criando Responsabilidade e Respeito

Dar um animal para crianças garante que você comece a ensinar sobre responsabilidades para o seu filho. A responsabilidade está nas pequenas coisas como alimentar o animal na hora certa e na quantidade correta, ter o compromisso de passear com o bichinho e também de ajudar a manter a higiene, como dar banho, e limpar as fezes e xixi.

Aqui segue uma dica muito bacana: deixe que seu filho ajude a dar o banho no pet, além de trazer uma imensa diversão mostra que esse momento exige cuidados.

Como forma de respeito, a criança precisa entender melhor sobre limites. Entender quando o animal está cansado ou não queira brincar e respeitar os momentos dele, como por exemplo, quando está com dor ou se alimentando, faz parte desse processo.

Esses fatores refletem, e muito, para que o pequeno saiba agir com respeito com outras crianças e todos os seres humanos.

Saúde psicológica

Já foi mencionado que animais para crianças podem trazer benefícios a imunidade, mas podem também ser muito importantes para diversos outros problemas de saúde, como os psicológicos.

Existem estudos que comprovam como a companhia dos animais podem diminuir os níveis de ansiedade e também de estresse. Essa companhia causa liberação de ocitocina, que é essencial na prevenção desses problemas.

Animais para crianças

Entendendo a vida

A vivência com um bichinho pode ser muito importante para que os pais tenham mais facilidade em fazer com que a criança aprenda e entenda coisas básicas da nossa vida que muitas vezes são difíceis de explicar, os pais podem utilizar disso como uma forma de educar.

Mas como assim? É simples, basta que explique que assim como na vida humana, na animal existe a reprodução, o nascimento e como ele acontece, a morte e o luto. Isso tudo tornará no futuro a maneira de lidar com as coisas mais naturais.

A importância de animais para crianças especiais

Você sabia que a Pet terapia existe desde 1792? Foi quando o inglês Willian Tuke trouxe para um asilo um grupo de animais e os resultados foram excelentes, tanto é que o método se tornou famoso no mundo inteiro. Isso foi comprovado apenas pelo fato de que um ser humano estar junto de um animal há a promoção do bem estar.

Em Minas Gerais, em uma sede da APAE, a prática da “Cãoterapia” existe desde 2006 e é executada por profissionais que durante 30 a 50 minutos por dia. 

Esses profissionais levam os animais treinados para atividades com os alunos, o que traz diversos benefícios que muitas vezes nem imaginamos. Na entrevista para o site Vida Paz Livre, Rita Ferrari Paludo menciona que “alguns benefícios da atividade já foram comprovados, como a diminuição da pressão sanguínea e cardíaca, além da melhora do sistema imunológico, da capacidade motora e da autoestima.”

Os animais também são capazes de melhorar a socialização, pois faz com que as crianças com doenças como o autismo, consigam se expressar melhor e se sentem mais estimuladas. Muitas vezes, são constatadas até a diminuição do uso de medicamentos após esse contato frequente com os bichanos.

Evitando acidentes

Temos muitos benefícios, mas é bom lembrar que os acidentes com animais podem acontecer sim. Primeiramente é importante escolher uma raça mais tranquila – como  shih-tzu, maltês, yorkshire, poodle, labrador, golden retriever, Cocker, daschund, spitz – mas é também uma ótima opção os vira latas, normalmente são bondosos e muito amorosos! 

Lembramos que, não é apenas a raça do cachorro que define o seu modo de agir, mas sim a maneira como é criado. Então, se atente para isso!

A dica essencial para evitar acidentes é: a criança precisa saber respeitar o animal. Não puxar os pelos, orelhas e rabo, evitar mexer no bicho enquanto se alimenta ou está machucado e, por último, evitar gritaria e correria demais perto do cão, ele pode se sentir provocado ou induzido a agir de maneira agressiva.

Seu filho ama cachorros e quer passar a mão em todos que passam por ele na rua? Primeiro certifique-se de que o animal é manso e, caso não esteja com seu dono, evite acariciá-lo.

Mantenha sempre em dia a vacina do Pet, isso reflete na maneira que ele age e previne problemas caso haja mordida. Foi mordido? Lave com água corrente e sabão calmamente, e se o animal não tiver tomado vacina de raiva, melhor ligar para um médico e tomar providências.

Quer saber mais? Nesse vídeo o especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, dá várias dicas de maneira bem didática.

Crianças criadas juntos de animais são mais felizes e crescem mais felizes, isso faz com que se tornem muito mais sociáveis durante sua vida.

Acho que com o post de hoje, se sua dúvida era adquirir um animal para as crianças, você tem sua resposta!


Fontes: Criança seguraG1, Bebê AbrilVida mais Livre
Compartilhar

Você também pode gostar

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *