O dia dos pais vem chegando e vamos falar um pouco sobre a importância da paternidade na vida dos filhos, e até pode ser que você perceba como a figura do pai pode ter influenciado tanto no decorrer da sua vida. Depois conta pra gente!

Pai é uma figura que vem mudando com o tempo e que para cada um de nós eles conseguiram ensinar e trazer diferentes experiências e sentimentos. Mas, eu te digo que todos eles têm algumas coisas em comum e eu vou contar mais nesse post.

O papel do pai no mundo moderno

pai e filha dia dos pais

A gente sabe que o papel do pai no mundo moderno mudou muito, nos dias atuais a separação matrimonial acabou se tornando mais comum, assim como muitas mães acabaram tendo que assumir o papel de pai e mãe. E isso pode afetar, e muito, na vida dos seus filhos, sabia?

É importante lembrarmos que o divórcio pode ser uma relação bem sucedida. Mesmo enquadrados nesse novo formato social, o pai não deve esquecer de como é importante estar presente na vida do filho mesmo que à distância. E as mães, precisam permitir que essa relacionamento entre pai e filho exista, independente de a relação amorosa como pai e mãe não ter dado certo, ou ter trazido traumas para algum deles.

Podemos dizer também que a forma como os pais se relacionavam com os filhos antigamente era muito mais autoritária, muitas vezes, menos carinhosa e carregada de machismo. Hoje, conseguimos perceber uma reestruturação dessa relação, muitas vezes os pais não querem repetir os antigos padrões – até mesmo por experiências pessoais.

Por isso, atualmente esse relacionamento vem acompanhado de muito mais cumplicidade, amor e carinho. E não se esqueça, que as vezes a figura do pai pode estar atrelada a outros graus de parentesco, como a um tio, avô, etc.

Pai e guia

dia dos pais

Principalmente para os meninos, o pai acaba sendo um guia para suas atitudes na vida adulta. Sendo assim, demonstrar os sentimentos e se preocupar com eles é muito importante para a construção do adulto do futuro.

Manter um diálogo, uma relação que não seja baseada em hierarquia, pode oferecer aos seus filhos mais liberdade quanto a conversas, desprendendo-os de medos e mostrando como lidar com os sentimentos.

Quando falamos desse relacionamento com os filhos, pode ser um divisor de águas para evitar a masculinidade tóxica e a estruturação de um patriarcado.

Outra questão importante, é lembrar como os filhos costumam reproduzir as atitudes do pai e da mãe, sendo assim, a forma como você se relaciona com suas questões sociais e também pessoais, como carreira, podem ser usadas como molde para o futuro dos seus filhos.

A influência da paternidade durante a vida

Quando a criança está no útero já consegue ouvir as vozes de quem está vivendo aqui do lado de fora e, quando nasce, já consegue identifica-las. A voz do pai é uma delas, então a criança já nasce com um vínculo afetivo com o pai, por isso é tão importante quando os pais se preocupam em conversar com a criança ainda no útero.

Segundo o artigo da Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, Edyleine Bellini Peroni Benczik, o primeiro contato dos 6 aos 12 meses de idade é um dos momentos mais importantes com o pai, o contato físico entre eles pode influenciar no ego da criança de maneira positiva.

pai com bebe

Lembrando que dentro deste período, o pai é a primeira pessoa associada a família depois da mãe. Isso faz com que o desapego maternal acabe se tornando mais fácil, o que mais tarde vai refletir na facilidade na abertura a novos horizontes e possibilidades.

Seguindo esse pensamento, o psicanalista Lacan, já afirmava que ter o pai por perto auxilia na maneira de lidar com a sociedade, podendo influenciar diretamente na segurança ao decorrer da vida de seus filhos, tanto nos estudos, na vida profissional e nas iniciativas pessoais.

O desenvolvimento cognitivo também acaba sendo muito mais aflorado quando há essa proximidade com o pai. Estudos mostram que até mesmo a aprovação na escola acaba sendo maior e existe menor existência de comportamentos violentos.

Depois dos 3 anos de idade, essa aproximação pode influenciar de diversas formas na vida da criança. Em caso de pai ausente, são frequentes o sentimento de culpa, falta de confiança e sentimentos de vingança. Isso, muitas vezes acontece em casos que a criança pode mais tarde trazer a culpa da separação dos pais para o seu nascimento, assim como também se culpabilizar pela falta do afeto paterno.

Em um artigo sobre o papel paterno, ainda se diz alguns outros reflexos que essa ausência pode causar:

“A ausência do pai nos filhos homens traz um sentimento de medo em relação às mulheres. O menino sempre se relaciona com uma mulher, a mãe, a professora, que tem no dia-a-dia poderes sobre ele. É ela quem irá julgar se ele é um bom menino, poderá viver gritando e até bater nele e indicará a todo o instante o que é certo ou errado. Ao procurar um jeito de torna-la feliz, aprende a ver as mulheres como seres grandes, poderosos e temíveis. Por isso mais tarde, se sentirá tão inseguro, que passará a querer domina-las ou evitará compromisso para não se sentir ameaçado. Para as filhas, a ausência do pai traz como conseqüência o amor a homens ausentes ou distantes, cujo afeto buscam conservar a qualquer custo, até mesmo com a anulação de si.”

Já na adolescência, essa relação pode até mesmo auxiliar no entendimento da sexualidade do seu filho. Por isso nesse período é muito importante o diálogo! Por mais que seja um período em que os filhos queiram achar que sabem de tudo, é preciso lidar com a situação e auxiliar a guiar o seus caminhos.

Você precisa de mais alguma coisa para entender qual a importância de valorizar seu pai nesse dia dos pais? Vamos homenagear essa figura, que é essencial em toda nossa vida, mas no nosso desenvolvimento pode trazer inúmeros benefícios.

E você, pai, que está lendo esse post, vamos fazer que esse dia dos pais possa unir você ainda mais a seu filho(a) e que você saiba como é importante ter vocês em nossas vidas!

Gostou desse post? Você pode gostar também do post sobre “Avós e netos: por que cultivar essa relação?“.

Fontes: Vou Ser Pai, Mooui, Pepsic, Diário do Nordeste, Família e FASIG.

Compartilhar

Você também pode gostar

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.