Seus filhos já voltaram a frequentar a escola? Nesse momento muitos pais ficam apreensivos em tomar a decisão de colocar os filhos de volta as aulas presenciais, mas para cada família a necessidade é diferente, principalmente quando falamos socialmente.

Estudos mostram que muitas vezes as mães acabam sendo as mais prejudicadas em sua rotina, em conciliar o trabalho com os cuidados com os filhos em casa e a educação.

Hoje eu dou algumas dicas para garantir que seu filho mantenha a saúde na escola, mas lembrando que não existe uma fórmula perfeita para evitar que a doença aconteça, a melhor forma de prevenção ainda sim é o estudo de maneira remota até que o plano de vacinação seja cumprido.

Os pais: essenciais para a saúde na escola

Em primeiro lugar devemos lembrar da importância que os pais têm em instruir os filhos sobre os cuidados com a higiene e também monitorar a saúde da criança. O que você deve ensinar em casa é:

  • Lavar as mãos com água e sabão por pelos menos 20 segundos;
  • Diante de qualquer sintoma como tosse, febre, dor de garganta, evite que seu filho vá a escola;
  • Em caso de qualquer tipo de sintoma da criança, avise a instituição de ensino, para que possa ser feita uma investigação com demais alunos;
  • Estar sempre atento as regras da pandemia;
  • Monitorar se seu filho está levando a quantidade suficiente de máscara para o dia de aula.

A escola e o espaço físico

Outra parte da responsabilidade da saúde na escola é da própria instituição, nos diferentes ambientes existem cuidados diferenciados assim como na administração de horários e quantidade de alunos por sala para evitar aglomeração.

Sala de aula:

  • Cada aluno deve permanecer dentro de 4m2;
  • Evitar compartilhar objetos pessoais como lápis, borracha, caneta…
  • Se possível, divisória de acrílico ou vidro nas mesas dos alunos ajudam a evitar até 92% o contamínio;
  • Os alunos e professores devem usar máscara o tempo todo;
  • São indicado no máximo 8 alunos por sala de aula;
  • Evitar o uso de ar condicionado e as janelas devem ser mantidas sempre abertas para garantir ventilação;
  • Sempre devem haver pontos com álcool 70% pela sala de aula.

Banheiro:

  • Deve haver higienização frequente dos assentos, maçanetas, etc.
  • Sempre deve ter disponível sabão e água;
  • Puxar a descarga com a tampa fechada;
  • Limitar a quantidade de alunos que entram no banheiro.

Hora do lanche:

  • De preferência, esse horário deve ser realizado dentro da sala de aula;
  • Se houver merenda, a fila deve ter distanciamento de 1,5m entre cada aluno;
  • Escalonar horário de intervalo de cada turma;
  • Retirar a máscara apenas na hora da refeição;
  • Não compartilhar alimentos e utensílios;
  • Corrimão, brinquedos, etc devem ser higienizados com frequência.

Uso da máscara:

  • Nesse momento dê preferência para as máscaras Pff2 e N-95;
  • Fazer o uso da máscara por no máximo duas horas (deve ser levado em consideração o tempo de ida até a escola, do período de aula e da volta para casa)
  • Não tocar na máscara;
  • Caso espirrar ou tossir, mesmo que de máscara é preciso tampar a boca e o nariz com o antebraço;
  • Levar mais de uma máscara, em saquinhos separados e lembrar sempre seu filho de que a máscara é de uso pessoal de cada um.

No vídeo á seguir o Dr. Drauzio Varella resume algumas dicas bem práticas:

Outras medidas que a escola pode manter é medir a temperatura na entrada da escola e, caso o aluno tenha temperatura maior que 37,5 graus, deve ser mandado para casa como forma de prevenção. O uso de cartazes educativos espalhados pela escola podem auxiliar bastante nessa empreitada.

Mas, se você ainda não se sente a vontade em mandar seu filho para aulas presenciais, nós separamos algumas dicas para te ajudar nesse momento com o post Educação na pandemia: como fazer acontecer?
Fontes: Viva Bem Uol, Veja Saúde, IFF Fiocruz e Portal Fiocruz.
Compartilhar

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *